ORTOGNÁTICA

A cirurgia ortognática é um tratamento indicado para pessoas que têm deformidades envolvendo os ossos da face e os dentes, visando restabelecer o equilíbrio anatômico da face. Quando não for possível resolver o caso somente com o aparelho ortodôntico, uma vez que o problema está no tamanho dos ossos do esqueleto e não somente na posição dos dentes, faz-se necessário uma correção óssea.

As deformidades dos ossos da face podem se originar de distúrbios de crescimento, síndromes e anomalias específicas, traumas na face, ou serem de origem genética, dentre outros fatores. Essas alterações podem estar localizadas num osso, como no prognatismo mandibular (mandíbula grande) ou no retrognatismo mandibular (mandíbula pequena), sendo que muitas vezes é um problema combinado, associando o maxilar superior à mandíbula. Por exemplo, quando a mandíbula for grande e o maxilar superior for pequeno, será necessário operar os dois ossos, com o posicionamento cirúrgico da mandíbula para trás e do maxilar superior para a frente.

O paciente deverá realizar uma documentação ortodôntica completa, em clínica especializada em radiologia odontológica, para que os profissionais ( Cirurgião Buco Maxilo Facial e Ortodontista ) analisem as correções necessárias através de um tratamento ortodôntico-cirúrgico-ortodôntico. Isto é, inicia-se com a ortodontia preparando os dentes por período que varia de seis meses a um ano (primeira etapa), a partir daí planeja-se a cirurgia ortognática, fazendo uma moldagem de estudo e confeccionando modelos de gesso e montagem em articulador; opera-se o paciente e, logo que se recupere, a ortodontia realizará os últimos ajustes na oclusão.

Antes da cirurgia, o paciente deverá realizar alguns exames complementares. A cirurgia é realizada em ambiente hospitalar e sob anestesia geral, envolvendo normalmente dois cirurgiões, um instrumentador e uma equipe multidisciplinar. A cirurgia é realizada totalmente por dentro da boca, não deixando cicatriz na face e, dependendo do porte da cirurgia e recuperação da anestesia, a alta hospitalar é dada ao paciente na manhã do dia seguinte.

A correção das deformidades faciais através da cirurgia ortognática traz grandes benefícios aos pacientes operados, com sensível melhora na relação entre os dentes, músculos, ossos, respiração, fonação, posição da língua, articulação temporo-mandibular (ATM), mastigação, digestão e em muitos casos, no relacionamento social. A Cirurgia Ortognática moderna busca um equilíbrio das funções mastigatória, respiratória e da beleza estética.

Perguntas freqüentes:

Com qual idade pode-se fazer essa cirurgia?
A Cirurgia Ortognática está indicada a partir dos 17 anos de idade (momento em que o crescimento dos ossos faciais já está no final). Caso haja dúvida, o cirurgião pode solicitar exames específicos para avaliação da idade óssea.


Existe alguma prevenção para as deformidades faciais?
Depende. Existe uma especialidade odontológica chamada Ortopedia Funcional dos maxilares, que trata preventivamente as deformidades faciais auxiliando o crescimento facial correto em pacientes em idade infantil. Porem em alguns casos de herança genética, esta prevenção pode não ser suficiente.



Como funciona o processo de autorização?

Após a consulta clínica, exames realizados e a indicação profissional de tal procedimento e necessário seguir alguns passos:

  • Retirar guias com o profissional solicitante;
  • Entregar no convênio ou hospital referência;
  • Acompanhar via telefone junto ao hospital após o primeiro dia a geração da senha, número do protocolo ou número da guia de solicitação;
  • Após verificação no hospital também verificar no convênio se esta devidamente solicitado;
  • Aguardar contato do hospital ou convênio até o 21° dia útil.

É importante mesmo antes do dia útil final que o convênio tem por lei que ligue e verifique se tem algum entrave ou problema, pois é comum problemas de informática, perda de anexos ao envio (exames) que só são identificados após analise.


Problemas com o convênio?

O prazo máximo por lei para autorização dos procedimentos eletivos de acordo com a súmula normativa 259 art. 3 da ANS é de no máximo 21 (vinte e um) dias úteis após a solicitação do profissional ou dada entrada no convênio, sendo esses dias necessários para avaliação pericial, junta médica e demais tramites administrativos. Cabe o plano de saúde autorizar de imediato procedimentos julgados como Urgência/Emergência.Em caso de problemas com autorização entre em contato diretamente com o convênio, não resolvendo formule uma reclamação junto a Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS pelo site www.ans.gov.br ou via telefone 0800 701 9656

*Tenha sempre em mãos todos os dados para justificar a reclamação de acordo com a Súmula Normativa 259 de 2011.

Planejamento no Software

Toda cirurgia ortognática é executada no software de planejamento virtual. Tanto a maxila quanto a mandíbula são colocados de forma precisa na posição facial adequada, obtendo assim a harmonia estética desejada.


Qual a origem das deformidades?

Essas deformidades podem ter origem nas Síndromes e Anomalias Específicas (fatores teratogênicos,fatores embriológicos, microssomia hemifacial, Treacher Collins, fissuras faciais, crânio-sinostoses, Pierre Robin...), distúrbios de crescimento após o nascimento, trauma facial, problemas musculares e hormonais ou de origem genética quando existe algum familiar com as mesmas características.

E comum ocorrer o paciente ter a mandíbula grande representando o prognatismo mandibular como as fotografias da paciente abaixo mostrando ante e após o tratamento.


"À medida que o interesse e a necessidade das pessoas pela cirurgia ortognática aumentaram, a tecnologia médica também melhorou rapidamente ao longo do caminho."


Quais os benefícios deste tratamento ortodôntico e cirúrgico?

  • Melhora da relação entre os dentes, músculos e esqueleto;
  • Melhora da respiração;
  • Melhora do posicionamento da musculatura do pescoço;
  • Melhora do posicionamento da língua;
  • Melhora da fonação e da articulação das palavras;
  • Melhora da oclusão e da articulação temporomandibular;
  • Melhora da mastigação e da digestão;
  • Melhora no relacionamento social.

Quais podem ser as fases do tratamento?

  • Exodontia dos dentes do siso deve ser no mínimo avaliada antes da montagem do aparelho ortodôntico;
  • Montagem do aparelho ortodôntico fixo - o tratamento ortodôntico pode levar de 8 a 24 meses antes da cirurgia para deixar os dentes em uma posição adequada;
  • Cirurgia Ortognática (ainda com o aparelho de ortodôntico nos dentes);
  • Trinta dias de recuperação (sem esforço físico, sem esporte e sol);
  • Retorno ao tratamento ortodôntico de 30 a 60 dias após a cirurgia para melhorar definitivamente a posição dos dentes;
  • Controles periódicos com o cirurgião;
  • O tempo do Tratamento depende do grau de dificuldade do tratamento ortodôntico.

Como a cirurgia é realizada?

A cirurgia é realizada no Hospital sob anestesia geral, mas antes é realizado o preparo do paciente com todos os exames necessários. O paciente é internado na manhã da cirurgia em "jejum absoluto" (não pode comer nenhum tipo de alimento nem tomar água nas 10hs antes da cirurgia) e dependendo do porte a cirurgia o paciente recebe alta hospitalar à noite ou na manhã do dia seguinte. A cirurgia é realizada totalmente por dentro da boca, não deixando cicatriz na face!

Existe dor após a cirurgia?

Não! O esqueleto é fixado com mini-placas e parafusos de titânio não permitindo micromovimentação dos ossos havendo ausência da dor. Haverá muito inchaço no rosto o que é normal e a partir do 4º dia começa a diminuir.

A boca fica amarrada? O osso fica fixado?

Não! Antigamente, era utilizado "fio de aço" para unir os ossos e devido a sua instabilidade era necessário manter a boca sem movimentação amarrando os dentes do paciente rigidamente por 30 ou 60 dias com fios de aço. Com o novo sistema de Fixação do Esqueleto com mini-placas e parafusos de titânio, o paciente sai da cirurgia e recebe alta hospitalar sem estar com a boca amarrada. Após quatro dias, inicia o uso de elásticos no aparelho ortodôntico que o próprio paciente coloca e retira em casa.

Quais são os cuidados pós cirúrgicos?

Dieta - "30 dias sem alimentos sólidos"! Durante 30 dias o paciente poderá comer alimentos líquidos e pastosos não podendo mastigar nada sólido. Deverá alimentar-se de sucos, vitaminas, sopas, caldos e cremes. A regra é a seguinte: o paciente por 30 dias pode comer "doces, salgados e até pedra desde que esteja batido e coado".

Cuidados Físicos - "30 dias sem esforço físico"! Normalmente, nos primeiros 15 dias, o paciente fica somente em casa. Praticamente, o seu único contato externo é com o seu cirurgião. Após 15 dias, é possível até freqüentar escola, pois o inchaço no rosto já diminuiu muito. Entretanto, durante os 30 primeiros dias após a cirurgia, o paciente não deve realizar nenhum esforço físico maior sendo aconselhável andar no banco traseiro do carro. Tampouco deve expor-se ao sol e manter-se afastado de esportes coletivos ou de riscos por 90 dias.

Muitas vezes o paciente apresenta problemas combinados associando o maxilar inferior e o maxilar superior, por exemplo: o excesso de crescimento mandibular (mandíbula grande) e a falta de crescimento maxilar (a maxila para trás) necessitando operar os dois segmentos. O paciente a baixo é um exemplo clássico de problema combinado. O maxilar superior foi colocado para frente e o inferior (a mandíbula) para traz.